Transportadores de valores do Amazonas anunciam paralisação, nesta segunda-feira

A paralisação foi acordada de forma unânime durante assembleia geral realizada na última segunda-feira (25). Foto: Divulgação/SintravamSintravam

27 Abril 2016

27 Abril 2016

D24am

D24am

Transportadores de valores do Amazonas anunciam paralisação, nesta segunda-feira

Manaus - Os trabalhadores de segurança privada do segmento de transporte de valores do Amazonas vão paralisar as atividades, a partir da meia-noite de segunda-feira (02). Dois mil trabalhadores devem aderir à paralisação, segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Carro Forte Transporte de Valores e Escolta Armada do Estado do Amazonas (Sintravam), Enderson Correa de Araújo. A categoria pede reajuste salarial de 15%.

A greve deve afetar bancos e caixas eletrônicos do Estado, segundo o Sindicato das Empresas de Segurança e Transporte de Valores e Curso de Formação do Estado do Amazonas (Sindesp-AM).

De acordo com o presidente Enderson, a paralisação foi acordada de forma unânime durante assembleia geral realizada na última segunda-feira (25). O edital de convocação foi publicado nesta quarta-feira (27), no jornal Diário do Amazonas. Os profissionais que vão aderir o movimento grevista são das empresas de segurança privada, Prosegur Vigilância, Global Service, Servi San, Fortnorte, Transexcel e Brink.

“Tivemos diversas reuniões junto com os trabalhadores para chegarmos até esse momento de greve, mas as nossas propostas não foram atendidas. Agora vamos começar a informar aos órgãos responsáveis e bancos, sobre a paralisação das nossas atividades, porque o dinheiro não vai chegar nos caixas eletrônicos”, disse o presidente.

De acordo com Enderson, a categoria “precisa” do reajuste salarial de 15%, atualmente, os salários variam entre R$ 1.345 e R$ 1.740. O aumento do valor do ticket alimentação também está entre as reivindicações da categoria.

“Nossa principal reivindicação é o reajuste salarial de 15%. A nossa outra pauta é o aumento do valor de ticket alimentação para R$ 20, sendo renovado no prazo de 30 dias. Queremos melhores condições de trabalho, porque não temos folga e trabalhamos durante 12 horas. Precisamos atuar por apenas 8 horas, por dia”, comentou o presidente, acrescentando que o sindicato patronal ofereceu uma contra proposta de aumento de reajuste salarial 9,9% e o valor de ticket de alimentação de R$ 16,60, mas a oferta foi negada pela categoria.

A partir desta quinta-feira (28), serão realizadas manifestações em frente as empresas para convocação dos trabalhadores. Segundo o presidente do Sintravam, a meta do sindicato é contar com a participação de todos os profissionais.

“Nós atuamos dentro dos carros fortes. Dentro de um veículo, trabalham quatro pessoas: motorista, escoltas e o fiel, que toma conta do dinheiro. A partir de segunda-feira, não vamos realizar essas atividades. Manaus vai saber o que é ficar sem os nossos serviços. Até uma resposta”, enfatizou Enderson.

Sindicato patronal responde

Em entrevista ao Portal D24am, o vice-presidente do Sindesp-AM, Nonato Caldera, classificou as reivindicações do grupo como ‘absurdas’. De acordo com ele, por conta da crise no País, não existem condições para grandes aumentos.

“Soube da publicação do edital de greve pelos veículos de comunicação. O que eles querem é um absurdo, pois estamos vivendo um momento de crise. Não existe esse aumento que eles solicitam, não temos condições, porque o nosso segmento depende da Zona Franca de Manaus, porque quando os gestores querem diminuir os gastos, eles cortam tirando os nossos profissionais”, explicou o vice-presidente.

Caldera reiterou que a proposta do sindicato é oferecer para a categoria o aumento salarial de 9,9% e o valor do ticket de alimentação para 16,6%. “Hoje o vale alimentação possui o valor de R$ 15, e queremos aumentar isso. Não temos condições de oferecer algo maior”, disse o vice-presidente, acrescentando o que espera da paralisação. “O trabalhador sabe que o aumento que estamos oferecendo é razoável. Essa greve vai ser diminutiva", finalizou o representante do sindicato.

Fonte: D24am



Voltar


Compartilhe!

Assine nossa Newsletter